Dicas de livros

História da África, de José Rivair Macedo

Salve, espectadores do canal! Quem viu meu vídeo sobre o livro SPQR deve lembrar que eu comentei sobre o principal motivo de não aparecer muita coisa sobre antiguidade no canal ser o fato de que eu não estudei muito esse tema. E o mesmo pode ser dito sobre História da África. Ao contrário de Antiguidade Ocidental, eu tive boas aulas sobre esse assunto, mas fazem quase 10 anos que eu estudei essa matéria na graduação, e desde então eu nunca mais li nada sobre esse assunto. E vez ou outra alguém me pede conteúdo sobre ele, com toda razão.

Só que meu primeiro impulso é sugerir que as pessoas leiam o livro A manilha e o libambo, de Alberto Costa e Silva, que é uma das melhores obras sobre o assunto e ainda por cima é de um autor brasileiro, ou então a coleção sobre História da África da UNESCO. O problema é que é leitura demais para quem está começando e quer algo mais conciso pra começar a flertar com o tema, ou para um professor de Ensino Fundamental e Médio que precisa preparar aulas. A dica de hoje veio pra te ajudar sugerindo um livro que preencha essa necessidade, e o livro de hoje é História da África, de José Rivair Macedo, lançado no Brasil pela Editora Contexto.

Quem estuda História no Brasil muito provavelmente já ouviu falar do autor. Ele é professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e um dos maiores especialistas em Idade Média do país. Só que depois de tanto tempo estudando a mesma área, ele foi ficando cansado e acabou encontrando na História da África uma nova paixão. E hoje ele é um dos grandes expoentes no assunto no país. Não é todo mundo que pode dizer que é um dos grandes especialistas do seu país em duas áreas inteiras da História!

O livro originalmente foi lançado em 2013, mas a edição que eu tenho em mãos é bem recente, lançada em 2018. Este é só um de uma série de livros que a Editora Contexto lançou nos últimos anos, dedicados a áreas da História para uso tanto em escolas quanto Universidades. A proposta é fazer livros concisos que possam ser lidos com rapidez pra poder preparar aulas, servir de base para discussões na faculdade ou mesmo estudar para uma prova ou concurso.

Mas ao contrário da maioria dos livros que a Contexto lançou nesse sentido, que resumem períodos com uma bibliografia gigante disponível, esse aqui fala de um assunto que ainda é carente de bibliografia no Brasil, e é justamente por isso que eu resolvi começar por ele, por achar que este é mais urgente.

Uma coisa que o livro faz e que é importante para quem quer ou precisa estudar África é que, embora o senso comum sempre se refira ao continente como um monólito, uma coisa só – com sorte o sujeito separa o norte do continente da região subsaariana –, é descrever a África como uma região complexa, que não pode ser transformada em um monobloco.

Da pra separar a África, no mínimo, em cinco partes: Nilótica, Índica, Mediterrânea, Saariana e Atlântica. A nilótica é a que fica nos arredores do Rio Nilo; a índica é a que fica mais a leste e sudeste, banhada pelo Oceano Índico; a Mediterrânea é a que fica bem ao norte, banhada pelo Mar Mediterrâneo; a saariana se refere à região que fica no próprio deserto do Saara; e por fim, a Atlântica é a que fica abaixo do Saara na costa oeste, banhada pelo Oceano Atlântico. Claro que, sendo um livro de um acadêmico que entende da área, o mínimo que se espera é isso. Mas é importante frisar esse aspecto para o público geral que muitas vezes sequer para pensar nisso.

Ele não tenta colocar todas as divergências e debates em aberto da área em foco, até porque um livro resumido que busca ser uma espécie de manual não tem como dar conta de tudo. Mas ele pelo menos deixa um monte de dicas de bibliografia, e para todo mundo que quer estudar um assunto, o melhor jeito de fazer isso é pegar algum livro acessível e ver qual a bibliografia foi usada – desde que o autor não seja um sensacionalista querendo vender livro com discurso “pseudo-polêmico”.

A ênfase do livro, segundo o próprio autor, são as formas pelas quais as sociedades africanas produziram as próprias condições de existência material, de acordo com as necessidades de cada ambiente em que essas sociedades se desenvolveram e dos contatos que estabeleceram entre si. Ela vai desde a pré-história do continente, passando pelas regiões que eu citei anteriormente, o tráfico de escravos, o colonialismo, a descolonização e chegando ao presente, terminando com dicas de leitura.

Enfim, se você precisa de um livro pra começar a estudar História da África, pode começar por esse aqui sem medo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s